COMO MODULAR COM PREBIÓTICOS SUA MICROBIOTA?





                                                                               Academy of Nutrition and Dietetics


Os prebióticos são ingredientes alimentares não digeridos pelo ser humano que têm um efeito benéfico para o mesmo devido ao esse metabolismo seletivo no trato intestinal (resistência à acidez gástrica, à hidrólise enzimática e à absorção gastrointestinal), sendo então fermentados pela microbiota intestinal, servindo assim de “alimento”, causando estimulação seletiva do crescimento da mesma presente nesse órgão.
Os prebióticos principais que têm essa função são fruto-oligossacarídeos, galacto-oligossacarídeos e lactulose. O uso frequente de prebióticos podem permitir alterações no nível de espécies da microbiota.





Alguns estudos avaliaram in vivo vários supostos prebióticos, porém, apenas a inulina (oligofrutose ou fruto-oligossacáridos), o transgalacto-oligossacarídeos (oligossacáridos derivados da lactose), e a lactulose (isomerização de lactose para gerar o dissacarídeo galactosil β (1 → 4) frutose) foram classificados com atividade prebiótica eficaz.
Esses prebióticos podem ser encontrados em alimentos ou suplementados. É importante que as tecnologias usadas para enriquecer alimentos com prebióticos, e para que estes representem mudanças positivas, sejam significativas e com base molecular para determinar as alterações da microbiota.
Consulte um nutricionista, que confie, para entender mais sobre e saber quais prebióticos e em qual quantidade é melhor para seu organismo.



Referência Bibliográfica:


GIBSON, Glenn R.; PROBERT, Hollie M.; LOO, Jan Van; RASTALL, Robert A.; ROBERFROID, Marcel B. Dietary modulation of the human colonic microbiota: updating the concept of prebiotics. Nutrition Research Reviews. Université Catholique de Louvain, Brussels. Belgium, 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário